fbpx

Neuromarketing é o campo do marketing que estuda as atividades cerebrais dos consumidores quando são expostos a produtos, serviços, marcas e propagandas.

Os profissionais que estudam essa área, tem como objetivo melhorar esses produtos e serviços e desenvolver uma comunicação mais eficiente e persuasiva com as pessoas.

Neuromarketing é a união da neurociência, da psicologia e das estratégias de marketing, com o objetivo de entender cada vez mais como funciona a mente do consumidor e os processos de tomada de decisão, e como utilizar toda essa informação para criar estratégias para atingir os clientes de forma mais eficiente e cada vez mais rentável.

Para começar a entender melhor o consumidor, é preciso descobrir quais são seus desejos e os impulsos que os motivam a tomar uma determinada decisão de compra, e em seguida, quais as reações que desencadeiam, após o ato da compra.

Quais serão os novos desejos que eles buscarão satisfazer a seguir? É nesse ponto em que o Neuromarketing se encontra com a Psicologia, nos estudos da Psicologia de Consumo, um ramo da psicologia que estuda como o ser humano é afetado pelos diversos estímulos que as campanhas de marketing geram para causar impulsos de compra nas pessoas. 

Entender o comportamento dos consumidores é essencial para o desenvolvimento de campanhas de marketing de sucesso. Nesse cenário, o neuromarketing ganha destaque no estudo do comportamento dos consumidores.

Seu objetivo é entender o que leva o consumidor a optar por determinado produto. Ele não considera apenas as qualidades dos produtos e serviços oferecidos, mas o que se passa na mente dos consumidores no momento da compra.

O que é o Neuromarketing?

Neuromarketing é um dos campos de estudo do marketing. Ele analisa a atividade cerebral dos consumidores quando são expostos a produtos, serviços, marcas e propagandas.

Seu objetivo é utilizar essas análises comportamentais para melhorar os produtos/serviços e desenvolver uma comunicação com o cliente que seja mais eficiente e persuasiva.

Ou seja, ele utiliza as emoções, os sentidos e os instintos dos consumidores como ferramentas para criar neles o estímulo de comprar determinado produto ou serviço.

Dessa forma, o neuromarketing é a união da psicologia, neurociência e das estratégias de marketing. Sua finalidade é aprofundar o entendimento da mente dos consumidores e seu processo de tomada de decisão.

As informações adquiridas com o neuromarketing são utilizadas para criar estratégias que sejam mais eficientes e rentáveis para a empresa.

A ideia é entender melhor o consumidor, descobrir quais os seus desejos e os impulsos que o motiva a tomar determinada decisão de compra. Também é importante descobrir quais reações são desencadeadas no consumidor após comprar o produto.

Leia mais: Planejamento de marketing | Saiba por que ele é importante para as empresas.

Como o neuromarketing funciona?

Ao contrário do que parece, o objetivo do neuromarketing não é enganar o consumidor para ele comprar determinado produto. Ele busca entender os instintos básicos do ser humano e como eles afetam a tomada de decisão.

A decisão de compra não é um processo racional. Na verdade, os sentimentos e as emoções têm grande influência na disposição do consumidor de optar por determinado produto. Ela segue o seguinte esquema:

Estímulo — Resposta biológica — Reação Emocional — Tomada de decisão

Aplicação

Apesar de ser um estudo complexo, a aplicação do neuromarketing na empresa pode ser simples e barata. A ideia é criar estímulos que chamam a atenção dos consumidores e o levem a comprar.

Por exemplo, quanto mais simples melhor. Informações rebuscadas, seja com uma fonte elaborada ou um texto complexo, atrapalham o processo de decisão do consumidor.

Uma comunicação simples e direta influencia positivamente o processo do consumidor. Ele entende e responde mais rápido a mensagem que quer ser passada pelo produto.

Outro detalhe importante são as cores. Cada uma estimula determinada reação. Por exemplo:

  • Vermelho: desperta inquietude, ansiedade, provoca a ação
  • Amarelo: prende a atenção, passa a ideia de otimismo
  • Laranja: estimula o processo de inscrição
  • Rosa: remete à identificação, ao feminino
  • Preto: remete a identificação com poder, classe e artigos de luxo

Além disso, o layout do site é muito importante. A organização das informações (textos e imagens) da forma correta é essencial para estimular o processo de decisão.

Nesse caso, os mapas de calor dos sites são importantes ferramentas para entender como os clientes navegam e quais áreas prendem sua atenção.

É preciso levar em consideração tanto as áreas onde o consumidor foca o olhar, quanto nos ícones que recebem um maior número de cliques.

Entretanto, nada disso funcionará direito sem um conteúdo de qualidade. O conteúdo é a principal ferramenta de engajamento do marketing e os gatilhos mentais são essenciais para criar os estímulos de compra.

Gatilhos mentais

Gatilho mental da escassez: 

“Compre já!” “Últimas unidades” “Promoção por tempo limitado “Essa é a sua última chance de adquirir…”

– Escassez promove senso de urgência, e uma sensação da perda da possibilidade de escolha, o ser humano acaba ficando refém desse sentimento angustiante. Por isso, o gatilho da escassez é tão poderoso e muito usado em promoções de grandes lojas de departamento. 

Gatilho mental da afinidade: 

“Eu já tive esse mesmo problema e consegui solucionar usando o produto x…” 

O ser humano sente a necessidade de encontrar semelhantes, pessoas que se pareçam com ele, que já tenham passado por situações parecidas. Assim, para gerar esse reconhecimento e afinidade com os consumidores, é preciso conhecer muito bem o seu público-alvo.

Uma das estratégias que podem ser usadas nesse caso, é o storytelling, técnica usada em diversas campanhas publicitárias. Portanto, quando é contada uma história/situação que o consumidor consegue se identificar, ele acaba criando essa afinidade, e automaticamente, fica mais propenso a comprar. 

Gatilho mental da prova social: 

A prova social nada mais é do que mostrar que o seu produto/serviço está sendo utilizado por outras pessoas e quem são essas pessoas. Geralmente, causam mais efeito se estamos falando de celebridades da tv ou conhecidos da internet indicando a sua marca para seus milhares de seguidores em suas redes sociais. Dessa forma, o seu produto/serviço passa a ser desejado pelos seguidores desse influenciador.

Gatilho mental da reciprocidade: 

“Baixe grátis” “Assista gratuitamente” “Uma semana de teste grátis” 

O ser humano tem a predisposição a ser coerente em seus atos. Como quando alguém lhe presenteia com algo, e você se sente “na obrigação” de retribuir o agrado. Ou seja, se alguém faz algo bom para você, a tendência é que se faça o mesmo por ele.

Muitas empresas utilizam essa técnica oferecendo desconto, download de material gratuito ou um tempo para testar aquele serviço grátis. (Como a Netflix, por exemplo, que oferece 30 dias grátis para testar o serviço) 

Gatilho mental da repetição:

É basicamente aquela campanha com uma música ou slogan que pega fácil, “gruda” no cérebro e quando você menos percebe, está cantarolando o dia inteiro aquela musiquinha da campanha de um candidato a prefeito da sua cidade.

Gatilho mental da segurança: 

Ao oferecer o seu produto/serviço, é importante demonstrar confiança e segurança para o cliente. Esse gatilho está alinhado tanto à segurança do vendedor no ato da negociação, quanto a sensação de segurança que o produto tem a capacidade de causar no consumidor. 

E aí, gostou do conteúdo sobre Neuromarketing? Então, compartilhe em suas redes sociais! 😀 

Abrir conversa
1
Olá! 👋 Podemos ajudar?
Olá! 👋 Podemos ajudar?