Em meio à crise do novo coronavírus, as empresas se veem num cenário de total imprevisão, o que, na maioria das vezes, pode acarretar a necessidade de adaptação temporária ou mesmo mudanças permanentes para o andamento do negócio.

É certo que o mundo pós-Covid não será o mesmo em diversos aspectos, e as empresas que não acompanharem as novas demandas dificilmente vão sobreviver. Por outro lado, são tantas variáveis a serem levadas em conta, que não sabemos até que ponto seremos afetados.

Por isso, neste artigo, falaremos sobre a matriz SWOT, também conhecida como FOFA. Essa poderosa ferramenta pode ajudar muitos empreendedores a traçar um planejamento estratégico para a sua empresa, de forma adequada ao novo cenário.

Com isso, é possível definir um direcionamento às operações do seu negócio. Análise SWOT ainda é bastante utilizada nas organizações hoje em dia e, até pelo seu formato em matriz, trata-se de uma ferramenta descomplicada para elaborar e explorar.

6 premissas da matriz SWOT

Antes de partirmos para a ação, vamos entender as seis premissas da análise SWOT. Essa sigla se refere a Strenghts, Weaknesses, Opportunities e Threats que, na tradução, contempla as Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, por isso, também conhecida como FOFA.

A base para compreender as suas Forças e Fraquezas é fundamentada no ambiente interno e, portanto, são cenários em que a organização pode intervir, controlar.

Já as Oportunidades e Ameaças, são baseadas nas influências externas e que, portanto, não são passíveis de modificação por parte da empresa. Por exemplo:

– Mudanças na legislação;

– Crises econômicas;

– Taxa de juros;

– Desastres naturais;

– Entre outros.

Tendo isso em vista, confira, a seguir, como compreender cada vertente, a partir de uma perspectiva de pós-Covid.

Forças

Nesse quadrante, são enumerados os fatores internos da empresa que caracterizam uma vantagem em relação à concorrência. Por exemplo:

– Relevância da marca;

– Patentes;

– Localização privilegiada;

– Equipe de ponta;

– Dentre outros.

No pós-crise, questione o que foi feito na sua empresa enquanto um diferencial competitivo, como por exemplo, se já adotava a estratégia da Omnicanalidade de forma bem desenvolvida; se o seu negócio vende produtos essenciais: alimentos, saúde e higiene; se possui uma gestão financeira eficiente, com austeridade, etc.

Fraquezas

Contrária à anterior, os pontos fracos representam os fatores internos que, de alguma forma, prejudicam ou desfavorecem a sua empresa em relação aos seus concorrentes. Por exemplo, custos altos de logística, frota de veículos antiga, localização desfavorável.

Nesse momento de crise e no pós-Covid, se a empresa não possuir canais digitais, acompanhando essa transformação digital, ou se ela tem pouco dinheiro em caixa para manter o negócio e, como agravante, as suas margens são pequenas, sem dúvidas, são pontos que devem ser considerados como fraquezas na análise SWOT.

Oportunidades

Quando algum fator externo influencia positivamente, criando um cenário favorável para a sua empresa, deve ser considerado uma Oportunidade na sua análise. Por exemplo, um hotel localizado nas proximidades de onde acontecerão as olimpíadas ou um grande evento no país.

No pós-crise, esse campo pode considerar uma gestão de custos otimizada, por exemplo, passando a adotar o home office para realizar suas reuniões. Aproveite e confira 8 dicas para produzir mais trabalhando em casa.

Algumas empresas também poderão contar com serviços de entrega mais ágeis; ativos mais baratos (imóveis, aquisição de novos negócios, frotas etc.); como também usufruir de uma mudança no comportamento do consumidor, que pode ser uma Oportunidade para alguns negócios e uma Ameaça para outros.

Ameaças

Por sua vez, as Ameaças abrangem os fatores externos que, de alguma forma, prejudicam o negócio, criando um cenário desfavorável. Por exemplo, uma mudança na legislação para o funcionamento do transporte por aplicativo.

Ao observar condições plausíveis para o pós-crise, organizações podem ter de enfrentar, além da mudança no comportamento do consumidor, o que representaria uma ameaça à maioria dos locais que agrupam pessoas, como salão de festas, estádios de futebol, lojas e shopping centers, ainda podem incluir como Ameaças:

– Possíveis medidas sanitárias demasiadamente restritivas;

– Baixo consumo;

– Inadimplência;

– Baixa atividade econômica.

Uma vez que estamos tratando de um prognóstico sobre o cenário pós-crise, em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Ameaça), confira como outra ferramenta pode lhe auxiliar a interpretar as circunstâncias externas na elaboração da matriz SWOT, a análise PEST.

Acrônimo para Política, Economia, Social e Tecnologia, a análise PEST se trata de um método que aborda as ameaças e oportunidades, a fim de obter uma visão macro do ambiente externo à qual as empresas estão expostas.

Para algumas organizações, cabe ainda incluir mais duas abordagens, a Ambiental (A) e Legal (L), passando a ser denominada de análise PESTAL ou PESTEL, com E do inglês Environmental.

De forma geral, os pontos que devem ser investigados para formar as oportunidades, inclusive para expansão do negócio, e ameaças na matriz SWOT são contemplados na análise PEST. Além disso, essa ferramenta possibilita um estudo de mercado, caso haja a intenção de ingressar em uma atividade por algum período, por exemplo, como neste momento de crise.

Então, seguem algumas considerações a serem feitas em cada ponto da análise PEST:

• Política

Englobam todas as decisões e fatores governamentais que podem influir no seu negócio, como eleições, adoção de novas políticas, mudanças no Governo, conflitos políticos, entre outros.

Nesse contexto, é pertinente questionar as medidas prováveis de serem aplicadas, de acordo com o governo atual ou o que está para assumir, que de alguma forma possam intervir no seu funcionamento ou resultados;

• Economia

Nesse quesito, entram os aspectos tributários, juros, inflação, taxas de importação e/ou exportação, crises, economia local, variações no preço de custo de certos produtos ou matéria-prima, entre outros motivos econômicos que interfiram no empreendimento;

• Social

Aqui, entram os argumentos em relação aos aspectos demográficos e culturais, por exemplo, o crescimento populacional em determinada região ou na sociedade, aspectos comportamentais, padrões de consumo, estilo de vida, regras sociais, censuras, crendices etc.;

• Tecnologia

Nesse momento de crise, se atentar aos recursos tecnológicos que o mercado oferece é mais que um diferencial competitivo, mas, para muitas empresas, é questão de sobrevivência. Por isso, cabe aos empreendedores buscarem essas novidades digitais e observarem o que os seus concorrentes ou mesmo outros segmentos estão adotando em termos de inovação.

Agora que você já sabe como adotar a matriz SWOT como ferramenta estratégica para a sua empresa no pós-crise, confira 5 dicas para manter a motivação da sua equipe durante a pandemia.